(EX)CITAÇÕES

«No dia 1 de agosto, ao inicio da tarde, o Banco de Portugal foi confrontado com o facto de todas as opções possíveis só restavam duas: a resolução ou liquidação».
Carlos Costa em audição parlamentar, 8 outubro 2014

“O Banco de Portugal considera desejável que o reforço de capital [do BES] seja realizado com base em soluções de mercado”.
Comunicado do Banco de Portugal, 31 julho 2014

“O interesse demonstrado por diversas entidades em assumirem uma posição de referência no BES indicia que é realizável uma solução privada para reforçar o capital. No limite, se necessário, está disponível a linha de recapitalização pública criada no âmbito do Programa de Assistência Económica e Financeira, que poderá ser utilizada para suportar qualquer necessidade de capital de um banco português, no enquadramento legal relevante e em aplicação das regras de ajuda estatal. Em todo o caso, a solvência do BES e a segurança dos fundos confiados ao banco estão asseguradas».
Comunicado do Banco de Portugal, 28 julho 2014

O regulador «não antecipa um impacto relevante na posição de capital do BES resultante da situação financeira da subsidiária BESA”. O Banco de Portugal “espera que a situação desta filial seja clarificada no curto prazo e sem impacto material no BES».
Esclarecimento do Banco de Portugal, 25 julho 2014.

«A situação de solvabilidade do BES foi significativamente reforçada com o recente aumento de capital, o que deverá permitir absorver eventuais impactos negativos que resultem da materialização de riscos no ramo não financeiro do Grupo Espírito Santo” (GES), do qual o BES é o principal ativo. (…) Atendendo ao plano apresentado pelo BES, considera-se que este banco possui mecanismos adequados para fazer face a um evento extremo, o que permitirá dar cumprimento aos níveis de solvabilidade exigidos, sem pôr em causa a continuidade da sua atividade e o seu papel de agente financiador da economia».
Esclarecimento do Banco de Portugal, 25 julho 2014.

«O Banco de Portugal não antecipa um impacto negativo relevante na posição de capital do BES resultante da situação financeira da filial BES Angola (BESA)».
Carlos Costa na audição parlamentar, 18 julho 2014.

«As interações preliminares entre o BES e bancos de investimento internacionais, assim como o interesse demonstrado por diversas entidades fundos de investimentoe bancos europeus) em assumir uma posição de referência no BES, indiciam que uma solução privada para reforçar o capital pode ser possível».
Carlos Costa na audição parlamentar, 18 julho 2014.

«O Banco de Portugal solicitou uma auditoria forense que confirme o cumprimento total de todas as determinações prudenciais de ‘ring-fencing’ emitidas relativamente às entidades não financeiras do GES. E determinou a realização de uma auditoria independente em acrescente à revisão da carteira de crédito. Destas duas auditorias, não teremos surpresas materiais financeiras, mas avaliações de comportamento da forma como foi gerido [o processo]».
Carlos Costa na audição parlamentar, 18 julho 2014.

«Se tudo corresse mal, a solvência estaria garantida e os clientes estariam salvaguardados. O banco cumpre os rácios de solvência. Há algumas incertezas, incertezas acomodáveis dentro da almofada».
Carlos Costa na audição parlamentar, 18 julho 2014.

«Se algum capital adicional fosse necessário, por força de riscos que neste momento não estamos a ver, seguramente que há accionistas interessados em participar num aumento de capital do BES».
Carlos Costa em declarações à TVI, 15 julho 2014

«O BES detém um montante de capital suficiente para acomodar eventuais impactos negativos decorrentes da exposição assumida perante o ramo não financeiro do Grupo Espírito Santo (GES) sem pôr em causa o cumprimento dos rácios mínimos em vigor».
Comunicado do Banco de Portugal, 11 julho 2014

«Atento o regime jurídico dos valores representativos de dívida a curto prazo, vulgarmente denominados ‘papel comercial’, que são valores mobiliários de natureza monetária, não compete ao Banco de Portugal fiscalizar o cumprimento do referido regime nem supervisionar o funcionamento dos mercados onde seja negociado papel comercial».
Fonte oficial do Banco de Portugal, 11 julho 2014

«A situação de solvabilidade do BES é sólida, tendo sido significativamente reforçada com o recente aumento de capital».
Outro comunicado do Banco de Portugal, 10 julho 2014

«A situação de solvabilidade do BES é sólida, tendo sido significativamente reforçada com o recente aumento de capital».
Comunicado do Banco de Portugal, 3 julho 2014.

Anúncios

2 thoughts on “(EX)CITAÇÕES

  1. Pingback: BES Angola: o elefante que ninguém quis ver | Disto tudo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s