Espírito Santo Tourism: quanto vale uma empresa fantasma e quem a quer comprar?

bigstock-Tax-Haven-5155938-1024x680

Até agosto de 2013 foi uma subsidiária da Espírito Santo International – ESI (ver esquema aqui). Nesse mês foi vendida por … 1 euro. Porquê?

A 31 de Agosto de 2013 o esqueleto da ES Tourism tinha, grosso modo, o seguinte aspeto:

  • Do lado do ativo, a ES Tourism tinha um empréstimo feito à própria ESI no valor de 225 milhões de euros;
  • No lado do passivo, a ES Tourism devia 320 milhões de euros relativos a obrigações emitidas e colocadas no mercado através de entidades da Espírito Santo Financial Group

Na prática, a razão de existir da ES Tourism era endividar-se junto de clientes BES (e afins) para depois usar esse dinheiro para emprestar à sua empresa mãe, a ESI. Porque pediu emprestado a juros mais altos que os cobrados pelos empréstimos concedidos, suportou ainda um acréscimo de juros de 3,8 milhões de euros. O resultado? Um capital próprio negativo de 90 milhões de euros.

Por que é que interessava à ESI manter uma subsidiária com estas funções? Por várias razões.

Em primeiro lugar porque já seria difícil à própria ESI ir aos mercados buscar dinheiro. Em segundo porque se o fizesse teria de pagar elevados juros. Desta forma conseguia financiamento barato, e evitava registar grandes perdas ou dívidas no seu próprio balanço: quem registava as perdas pela diferença entre o que pediu emprestado e o que emprestou era a ES Tourism.

Pode dizer-se que esta operação – que não era única – era útil à ESI para ocultar a dimensão da sua dívida. Vender a ES Tourism era só mais um passo que retiraria definitivamente um grande problema das contas da ESI. Faz sentido.

Mas por que é que alguém haveria de comprar a ES Tourism, que estava tecnicamente falida? Por que é que alguém haveria de dar 1€ que fosse por um monte de dívidas a pagar a clientes do BES, e um monte muito mais pequeno de dívida a receber da pouco saudável ESI? (É valor a receber nunca compensaria o montante a pagar). Não sabemos porquê, mas sabemos quem, e isso basta.

O comprador da ES Tourism por 1€ foi a Westby Entrepresis, Ltd.

O dono da Westby Entrepresis, Ltd. chama-se Karl Sanne. Curiosamente o mesmo beneficiário de vários offshores que, há 10 anos, serviam para comprar ações do BES. O que é que liga as duas operações separadas por uma década? A Eurofin. Está explicado aqui.

Anúncios

One thought on “Espírito Santo Tourism: quanto vale uma empresa fantasma e quem a quer comprar?

  1. Pingback: ES Bank (Panama): dever ao GES para emprestar ao GES | Disto tudo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s